Arquivo para julho, 2017

Veja como seus representantes trabalham

Posted in Sem categoria on julho 31, 2017 by gusbrum

17353133_1663086140372306_6189272168530460015_n.jpg

Polícia Civil do Rio indicia ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) por fraude de mais de 50 milhões em Furnas

Posted in Sem categoria on julho 31, 2017 by gusbrum

Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil
Roberto Jefferson
O  ex-deputado federal e ex-presidente do PTB Roberto  Jefferson      Arquivo/Agência  Brasil

A Polícia Civil do Rio de Janeiro indiciou hoje (27) sete suspeitos de corrupção e lavagem de dinheiro na estatal Furnas Centrais Elétricas. Entre os indiciados no relatório encaminhado hoje (27) ao Ministério Público, está o ex-deputado federal e ex-presidente do PTB, Roberto Jefferson, por lavagem de dinheiro, além de empresários e lobistas.

De acordo com a titular da Delegacia Fazendária, Renata Araújo, o esquema, que ficou conhecido como “lista de Furnas” operou entre 2000 e 2004.

Ainda segundo a Polícia Civil, um dos responsáveis pelo esquema era o então diretor de Planejamento, Engenharia e Construção, Dimas Fabiano Toledo, que foi beneficado pela prescrição do crime, por ter mais de 70 anos.

Em nota, a Polícia Civil explicou que há indícios de superfaturamento de obras e serviços por Furnas, durante a construção das usinas termelétricas de São Gonçalo, no Grande Rio, e Campos, no norte do estado. O dinheiro era usado para financiar ilegalmente campanhas políticas e enriquecer agentes públicos, políticos, empresários e lobistas.

A ação começou na Justiça Federal, mas acabou sendo passada para a Justiça Estadual, pelo fato de Furnas ser uma empresa de economia mista e pelo desvio de fundos envolver obras de usinas dentro do estado do Rio. Estima-se que o dinheiro desviado ilegalmente para campanhas chegue a R$ 54,9 milhões.

Edição: Nádia Franco

 

Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2016-02/policia-civil-do-rio-indicia-ex-deputado-roberto-jefferson-por-fraude-em

Falta dinheiro? Mas não para os carros oficiais. Brasil gastou R$ 1,6 bilhão em 2016 com carros oficiais

Posted in Sem categoria on julho 30, 2017 by gusbrum

Segundo a ONG Contas Abertas, valor é muito superior a orçamento de ministérios

O país gasta mesmo com os cofres vazios. Somente nos primeiros seis meses deste ano, a dívida pública, interna e externa, consumiu mais de R$ 700 bilhões dos R$ 940 bilhões já executados pelo governo. Do que sobrou, apenas a administração pública foi responsável por um gasto superior a R$ 10 bilhões. Em 2016, segundo levantamento da ONG Contas Abertas, o custo só com serviços relacionados a carros oficiais foi de mais de R$ 1,6 bilhão. O valor é muito superior ao destinado a diversos ministérios, como, por exemplo, o do Meio Ambiente, que terá de se virar com R$ 446,5 milhões neste ano.

Na conta, estão incluídas as faturas de manutenção, combustível, melhorias, locações de automóveis. Apenas com combustíveis e lubrificantes foram consumidos R$ 328 milhões. Com acessórios, mais de R$ 1 milhão. O maior orçamento é do Ministério da Defesa, que gastou R$ 768,6 milhões, destes, R$ 346,4 milhões em carros de combate. O segundo maior custo é do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), que aplicou R$ 246 milhões, seguido da Educação, com R$ 139,5 milhões.

Apenas com combustíveis e lubrificantes foram consumidos R$ 328 milhões, segundo a Contas Abertas
Apenas com combustíveis e lubrificantes foram consumidos R$ 328 milhões, segundo a Contas Abertas

Para o economista e secretário-geral da Contas Abertas, Gil Castello Branco, os números estão subestimados, já que há outras formas de o governo lançar no Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi) os gastos com aluguel de veículos.

O presidente do Conselho Federal de Economia, Júlio Magaya, atribui os gastos exorbitantes à má gestão. “O governo projeta um déficit de R$ 139 bilhões para as contas públicas este ano, mas o rombo deve ser maior, perto de R$ 160 bilhões. Isso tudo é por causa da má gestão. Temos órgãos com muitos funcionários e outros com equipes ineficientes. O governo aumentou, no ano passado, os gastos com pessoal em R$ 22 bilhões e agora pensa em reduzir R$ 1 bilhão. É evidente que tudo isso poderia ser reduzido, não só com pessoal, mas também com veículos e outros bens”, comenta.

Autor do projeto de lei 3.108/15 que pretende restringir o uso de carros oficiais para os presidentes dos Três Poderes, o vice-presidente, os ministros e os comandantes das Forças Armadas, o deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB-PB) comenta que a redução da máquina pública é uma demanda difícil de atender, mas necessária.

“Esse assunto precisa deixar de ser tabu e tem de ser feito com o envolvimento de toda a elite do funcionalismo público. Não dá para aumentar imposto de gasolina e não cortar comissionados. Os gastos do orçamento com serviços que não têm retorno direto à população precisam ser cortados”, defende. Aprovado por unanimidade na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara no último dia 14, o projeto vai ao Senado.

No Senado, cada parlamentar tem direito a um carro oficial alugado além dos institucionais. Em 2015, a Casa tinha 127 veículos locados e dois oficiais. Em 2011, a primeira-secretária da Casa decidiu não ter mais frota própria para reduzir gastos com manutenção, peças, lavagem e equipamentos – uma economia estimada em R$ 2,6 milhões. Neste mês, a frota será renovada por veículos zerados. Em um novo modelo de contratação, o Senado contratou uma só empresa para locação e lavagem dos automóveis pelo valor anual de R$ 3,3 milhões. Na Câmara, os deputados integrantes da Mesa Diretora, titulares e suplentes, e os órgãos vinculados a ela têm o benefício. Em 2015, o total de veículos locados foi 50 e oficiais 23, segundo estudo da consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira.

Sobre os gastos, o Ministério da Justiça esclarece que dispõe de 12 veículos para atender as próprias demandas fornecidas por locação, no entanto, ressalta que possui uma frota de veículos militares que despendem um alto custo de manutenção. O MEC esclarece que o valor total inclui as universidades e institutos federais e que a atual gestão diminuiu os gastos de 5,6 milhões, em 2015, para R$ 4,3 milhões em 2016. Procurada, a Defesa não respondeu.

Táxi

Apesar de impressionantes, as altas cifras gastas com meios de locomoção já são fruto de medidas restritivas impostas pela União nos últimos anos. Em outubro de 2015, a então presidente Dilma Rousseff alterou, por meio de decreto, as regras e limitou o uso exclusivo de carro oficial ao presidente, ao vice-presidente, aos ministros, aos comandantes das Forças Armadas e aos ex-presidentes. Para os demais cargos, o uso dos veículos tem de ser compartilhado. No ano passado, o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão elaborou um estudo para identificar os gastos e lançou, em fevereiro deste ano, o sistema TaxiGov, ainda em fase de teste em 12 pastas e com previsão de extensão total até 2018. O contrato anual com a empresa vencedora da licitação ficou estimado em R$ 12,7 milhões.

Dados da pasta mostram que, até o início deste mês, 2.348 usuários haviam se cadastrado no sistema e feito 16.462 corridas, percorrendo 131.000km. O custo das viagens ficou em R$ 445 mil, gerando uma economia de R$ 703 mil, 61,24% comparada ao contrato anterior, de R$ 1,1 milhão. Em junho deste ano, provocado por uma representação, o plenário do Tribunal de Contas da União (TCU) permitiu que os serviços de transportes por meio de aplicativos, como o Uber ou Cabify, possam concorrer na licitação do sistema. A pasta ainda avalia como incluir a mudança. (NL e RS)

Máquina desgovernada

Em 2016, a administração pública gastou mais de R$ 1,6 bilhão com veículos, entre manutenções, combustíveis, melhorias e locações de automóveis. Confira detalhes do levantamento da ONG Contas Abertas:

Acessórios R$ 1.059.330,80

Carros de combate R$ 1.059.330,80

Combustíveis e lubrificantes R$ 328.980.079,67

IPVA R$ 3.159.319,96

Locação R$ 495.856,60

Manutenção e material para manutenção R$ 514.747.520,99

Melhorias e adições R$ 10.800.538,86

Taxas e pedágios R$ 1.524.488,7

Estacionamento R$ 3.065.439,68

Estacionamento (Polícia Federal) R$ 149.153,96

Veículos de tração mecânica R$ 375.027.307,51

Veículos diversos R$ 102.508.287,36

Total R$ 1.687.930.182,50

FONTE: http://www.jb.com.br/pais/noticias/2017/07/29/brasil-gastou-r-16-bilhao-em-2016-com-servicos-relacionados-a-carros-oficiais/

Moralista sem moral do MBL sendo desmascarado

Posted in Sem categoria on julho 28, 2017 by gusbrum

20292882_1572758692745835_7663411377383593318_n.jpg

O guru dos revoltadinhos, Kim Kataguiri, prega moralidade pelo Brasil afora. O líder ‘Kim Kataguiri’ tem um montão de admiradores, inclusive FHC, Aécio, Aloysio, Caiado, Cunha, Agripino… só gente boa. Acontece que sua indignação é de mentirinha, pois há sujeira dentro de sua própria casa que ele não revela. Seu pai, Paulo Atuhiro Kataguiri, é esta envolvido em fraudes na previdência por não pagar os seus empregados. Teve inclusive bens penhorados. Para quem quiser acompanhar, segue o número do processo.
> Processo Nº RTOrd-0000582-43.2013.5.15.0085

Diário Oficial 09/06/2015 | DJSP – Primeira Instancia do Interior parte 3
Estado São Paulo
Processo 0010590-69.2007.8.26.0526
Tipo Execução de Título Extrajudicial
Subtipo Espécies de Contratos
Seção JUÍZO DE DIREITO DA 1a VARA
Banco do Brasil S/A
Q C Industria Metalúrgica Ltda
Shesiro Hasegawa
Paulo Atuhiro Kataguiri
Advogado
Adriana Moreira de Souza
OAB 310096/SP
Advogado
Flávio Olímpio de Azevedo
OAB 34248/SP
Advogado
Renato Olímpio Sette de Azevedo
OAB 180737/SP
Conteúdo da movimentação
Vistos. Fls. 214: O registro ARISP, será deferido após a penhora e avaliação do bem. Nos termos do artigo 659, § 4° do CPC lavre-se termo de penhora da parte cabente ao executado Paulo Atuhiro. Após, antecipadas as despesas do Oficial de Justiça, expeça-se mandado de avaliação e intimação da penhora. Intime-se. (termo de penhora lavrado a fls. 218).

FONTE: https://plus.google.com/103441254082066607820/posts/FcXSNNfXe6R

Enquanto isso no Ministerio dos Devaneios

Posted in Sem categoria on julho 27, 2017 by gusbrum

20374277_811078042402784_4159687590884300174_n.jpg

Pode chegar aR$ 1,176 milhões as fraudes no Instituto de Gestão Previdenciária do Estado do Tocantins (Igeprev/TO)

Posted in Sem categoria on julho 27, 2017 by gusbrum

27/06/2017

PF combate fraudes no Igeprev/TO

Palmas/TO – A Polícia Federal deflagrou nesta manhã (27) a Operação Naum, com o objetivo de desarticular suposta organização criminosa que operava esquema de fraudes em aplicações do Instituto de Gestão Previdenciária do Estado do Tocantins (Igeprev/TO) em fundos problemáticos que geraram enormes prejuízos ao Instituto, mediante pagamento de vantagem indevida.

Policiais Federais estão cumprindo medidas judiciais nos estados do Tocantins, Goiás, Santa Catarina, Rio de Janeiro, São Paulo e no Distrito Federal.

Auditorias realizadas pelo Ministério da Previdência Social e Sindicância realizada pelo próprio Igeprev apontam que o Instituto reiteradamente efetuou aplicações em desacordo com os limites e modalidades de aplicação permitidas pela resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN), bem como em fundos problemáticos com alto risco de perdas.

Foi apurado prejuízo ao erário de cerca de R$ 260 mil. Também foram constatadas aplicações no montante de R$ 1,176 milhões em 27 fundos sem liquidez e com possíveis prejuízos.

A investigação é um desdobramento da Operação Miquéias da Polícia Federal no Distrito Federal.

Dentre os profetas menores do velho testamento, Naum vem depois de Miquéias. Assim, o nome da operação foi escolhido para lembrar a relação de sucessão entre as duas investigações.
FONTE: http://www.pf.gov.br/agencia/noticias/2017/06/pf-combate-fraudes-no-igeprev-to

Corrupção e lavagem de dinheiro em Santo Amaro, Bahia chega a R$ 38 milhões. Cidade é administrada pelo DEM

Posted in Sem categoria on julho 27, 2017 by gusbrum

PF e MPBA combatem corrupção e lavagem de dinheiro em Santo Amaro/BA

Salvador/BA – A Polícia Federal e o Ministério Público do Estado da Bahia deflagram nesta quinta-feira (6/7) mais uma fase da Operação Adsumus, com o objetivo de desarticular esquema criminoso de desvio de verbas públicas, fraudes à licitação, corrupção e lavagem de dinheiro.

Cerca de 40 policiais federais cumprem 8 mandados de busca e apreensão e 7 mandados de condução coercitiva nos municípios de Salvador, Lauro de Freitas e Santo Amaro, todos na Bahia. Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal em Salvador e pela Vara Criminal da Comarca de Santo Amaro.

Conforme apurado durante as investigações, o esquema ilícito funcionava através de três núcleos empresariais que recebiam da Prefeitura de Santo Amaro valores para realizar obras públicas, fornecer material de construção e alugar maquinário. Além do direcionamento e outras fraudes e irregularidades nos processos licitatórios, verificou-se que parte das obras contratadas era realizada por servidores da própria prefeitura, que assim absorvia parte dos custos e possibilitava o desvio do dinheiro. Após, os valores recebidos pelos empresários eram transferidos a um operador do pagamento de propina, que os retransmitia aos agentes políticos e servidores públicos envolvidos.

Também foi identificado o pagamento de altos valores a empresas do ramo de entretenimento, mediante contratação sem licitação, cujos sócios eram os próprios secretários municipais. Parte do dinheiro desviado era da prefeitura municipal e parte oriunda de programas e convênios do Governo Federal, razão pela qual caminham paralelas investigações no Ministério Público Estadual e na Polícia Federal, resultando na operação de hoje.

Foi determinado ainda o bloqueio judicial de mais de R$ 38 milhões em valores, imóveis e veículos, com a finalidade de ressarcir a União pelos desvios praticados.

FONTE: http://www.pf.gov.br/agencia/noticias/2017/07/pf-e-mpba-combatem-corrupcao-e-lavagem-de-dinheiro-em-santo-amaro-ba