Beu Rocha (destaque) ao lado de Antonio Rodrigues, Júnior Cardoso e Modeir Rauedys
Foto: criativaonline – Beu Rocha (destaque) ao lado de Antonio Rodrigues, Júnior Cardoso e Modeir Rauedys 

Sentou-se hoje no banco dos réus e mais uma vez, o ex-prefeito de Mutuípe Gilberto dos Santos Rocha, popularmente conhecido como Béu Rocha que é acusado de desviar dinheiro público da sua finalidade quando era prefeito do município e responde a processo de ação civil de improbidade administrativa, o que pode torná-lo inelegível mais uma vez, enquadrado na lei da ficha limpa.

Consta no processo que o relatório do Tribunal de Contas da União constatou irregularidade na construção de uma barragem com dinheiro da União enviado mediante convênio do município de Mutuípe com o DNOCS, quando, na época, o Prefeito era o réu BÉU ROCHA. As informações dão conta de que a verba pública foi utilizada para a construção de uma barragem em propriedade de particular.

De acordo com o Ofício n. 60/TCE, a Instrução Normativa STN n. 1, de 15 de janeiro de 1997, dispõe no seu art. 5º, § 3º, que “o novo dirigente comprovará, semestralmente ao concedente o prosseguimento das ações adotadas, sob pena de retorno à situação de inadimplência”.

Como o dinheiro desviado da sua real finalidade na época não foi devolvido aos cofres públicos, a população de Mutuípe iria pagar um preço muito alto, pois o município poderia ser penalizado sendo inscrito no cadastros do SIAFI/CAUC, o que o impediria de receber transferências do orçamento geral da União, causando um prejuízo muito grande no fornecimento de bens e serviços de qualidade como vem ocorrendo. Desse modo, o município de Mutuípe ajuizou ação com vistas a satisfazer seus interesses, bem como devolver ao erário federal a quantia supostamente utilizada indevidamente.

Além de ter que devolver o dinheiro, Béu Rocha pode ver o seu sonho de se candidatar nas próximas eleições se transformar em pesadelo, estando inelegível pela lei da ficha limpa e vendo o seu desafeto político Modeir sendo o candidato a representar a oposição no cenário político mutuipense.

Uma audiência para ouvir testemunhas do caso foi realizada nesta terça-feira (23) no Forum Desembargador Nelson Evangelista Souza.

FONTE: http://mutuipeagora.com.br/?p=1875