Nem fila do SUS escapa das fraudes: Prefeita de Ivoti, no Rio Grande do Sul foi presa por fraudar fila do SUS. Maria de Lourdes Bauermann pertence ao PP gaucho.

iovani GrizottiDa RBS TV

O Ministério Público investiga uma prefeita eleita com 66% dos votos na cidade de Ivoti, no Vale do Sinos, suspeita de ter montado um esquema para furar a fila do Sistema Único de Saúde (SUS) em troca de votos. A fraude aconteceria há pelo menos três anos. Além de furar a fila, algumas pessoas tinham prioridade para a realização de cirurgias estéticas.
Maria de Lourdes não quis falar sobre as acusações (Foto: RBS TV/Reprodução)
Maria de Lourdes Bauermann (PP-RS) não quis falar sobre as
acusações (Foto: RBS TV/Reprodução)

Na cidade de Ivoti, a espera pela consulta com um ortopedista pode levar quatro anos. No entanto, um aposentado conseguiu atendimento em tempo recorde: 12 dias, além de ter feito uma cirurgia. Sem saber que estava sendo gravado, ele conta que a consulta foi marcada por Maria de Lourdes, a prefeita eleita na cidade.

“Eu há três anos esperando, entregava aqui na prefeitura, não me faziam nada. É a Maria de Lourdes, eu não sei o que ela fez (…) entreguei para ela, e ela que me arrumou”, afirma o aposentado, sem saber que era gravado.

O marido de uma paciente com câncer diz que a esposa também conseguiu atendimento ainda mais rápido. “De um dia para o outro”, afirmou, atribuindo a rapidez a Maria de Lourdes.

O esquema acontecia na cidade de Ivoti, no Vale do Sinos (Foto: RBS TV/Reprodução)O esquema acontecia na cidade de Ivoti, no Vale
do Sinos (Foto: RBS TV/Reprodução)

A suposta fraude foi denunciada por um funcionário da Secretaria Municipal de Saúde de Ivoti, que pediu para permanecer anônimo.

“Uma pessoa que tem um problema que não é tão grave, que é passada na frente. E essa consulta, ela é pega e ela é escolhida a dedo para quem ela vai ser dada (…) às vezes tu pode até perder um paciente por uma situação dessas”, afirma o denunciante.

De acordo com a denúncia, para conseguir atendimento, os pacientes de Ivoti são cadastrados no sistema do SUS com endereços falsos da cidade de Taquara, que fica a 50 quilômetros de  distância. Na secretaria de saúde desta outra cidade as vagas são obtidas, supostamente após a desistência de pacientes que estavam na fila.

“A gente chama de repescagem. São desistências muito em cima da hora, são consultas que, na verdade, eles já marcam as pessoas mais urgentes e ainda tem disponibilidade de agenda”, conta.,

Investigada pelo Ministério Público, a funcionária que fez a marcação em Taquara diz que pacientes de fora costumam mentir o endereço para conseguir atendimento. Ela admite que já agendou consulta para a prefeita eleita de Ivoti.

“Uma vez eu consegui para um familiar dela. Ela dizendo que era moradora, que morava aqui na cidade de Taquara”, afirma a ex-funcionária da prefeitura da cidade Magali Vitorino da Silva.

O promotor que investiga o caso ouviu 12 pacientes, sendo que 10 deles confirmaram a fraude. Até cirurgias estéticas, pagas com dinheiro público, eram feitas no lugar de quem realmente precisa.

“Alguns casos eram bem graves, mas outros casos, em contrapartida, não tinham urgência alguma (…) há informações a respeito de reparação oftalmológica, que seria muito mais estética do que funcional e também um mero aumento de grau de óculos de pessoas que tiveram as consultas marcadas de forma mais rápida por intermédio de Taquara”, afirma o promotor Flávio Duarte.

Cabo eleitoral tenta impedir declaração de Maria de Lourdes (Foto: RBS TV/Reprodução)
Cabo eleitoral tenta impedir declaração de Maria de
Lourdes (Foto: RBS TV/Reprodução)

Antes de ter se candidatado, Maria de Lourdes Bauermann foi assessora dos deputados federal Renato Molling e estadual João Fischer, ambos do PP. Ela participaria do suposto esquema há pelo menos três anos.

Uma tentativa de contato com Maria de Lourdes foi impedida por um cabo eleitoral.

A prefeitura de Taquara, no Vale do Paranhana, abriu sindicância para apurar o caso.

O deputado João Fischer disse desconhecer o esquema. Já Renato Molling afirmou que se recupera de uma cirurgia e que por isso preferia não se manifestar.

Sistema de atendimento do SUS é alterado para evitar fraudes
Em entrevista à RBS TV no dia 11 de outubro, o secretário estadual de Saúde do Rio Grande do Sul, João Gabbardo dos Reis, informou que foi realizada a troca do programa de computador que permitia que a fila de espera por atendimento no SUS fosse furada.

O processo de marcação de consultas e de exames começa nas unidades do SUS. O médico determina o atendimento, e a Secretaria Municipal de Saúde faz o pedido para as centrais de regulação. Era nestes locais, segundo a secretaria, que estava a brecha usada pelos fraudadores. O novo programa, implantado neste mês, só permite que o acesso seja feito por funcionários.

“Ele é muito mais seguro que o sistema anterior, que era antigo e que estava sem manutenção. Agora temos um sistema novo desenvolvido pela Procempa (Cia de Processamento de Dados Do Município De Porto Alegre), que tem uma série de seguranças no sistema, que não permite mais esse tipo de fraude”, afirmou Gabbardo.

 

,  Maria de Lourdes (PP-RS)

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: