Advogada presa por fraudes de R$ 15 milhões no auxílio-reclusão em Ribeirão Preto, SP

 

A Polícia Federal de Ribeirão Preto prendeu nesta segunda­-feira, 25, uma advogada sus­peita de aplicar golpes no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) cujo montante dos valo­res foram estimados em R$ 15 milhões. De acordo com o de­legado da PF, Guilherme Mon­seff Biagi, a operação crimino­sa acontecia no benefício de auxílio-reclusão, destinado aos familiares de presos. A fraude foi praticada em Ribeirão Preto, Jaboticabal e Serrana.

Segundo divulgação da Polí­cia Federal, o golpe era praticado pela suspeita desde 2010 e pelo menos 80 casos estão sob inves­tigação. A advogada falsificava os documentos de entrada no auxílio do INSS com informa­ções inválidas. O delegado Gui­lherme Monseff explicou que “alguns benefícios tinham como característica o início do perío­do de trabalho pouco antes da data de prisão”, esclareceu.

Investigações iniciaram-se em 2013, após o INSS identificar a fraude com a utilização de um sistema de monitoramento.

O benefício do auxílio-re­clusão é regulamentado pela Lei Federal nº 8.213, de 24 de julho de 1991, e destinado aos depen­dentes de pessoas presas em re­gime fechado ou semiaberto que tenham contribuído para a Pre­vidência Social antes da prisão.

Na entrevista coletiva na sede da Polícia Federal na ci­dade, o delegado Guilherme Monseff relatou que o benefício é previsto na legislação, mas a fraude chamou atenção porque os dados de vínculo empregatí­cio dos presos eram comunica­dos sempre depois da pessoa já estar presa. O delegado concluiu que “embora exista a previsão legal, causou estranheza porque era incomum, e as empresas nor­malmente registram os funcio­nários e já fazem a comunicação ao INSS, com base nisso alguns casos foram selecionados, todos vinculados a essa mesma advo­gada e, posteriormente, encami­nhados à Polícia Federal”.

Ainda conforme o delega­do, muitas das empresas usadas de fachada para a fraude não existiam mais. Embora o CNPJ continuasse ativo, fisicamente elas não existiam mais ou então eram muito pequenas e os empresários negavam que tinham empregado aqueles supostos trabalhadores.

A Polícia Federal comunicou que a prisão preventiva da ad­vogada foi decretada para evitar que ela interceda e convulsione o restante das apurações. Ela estaria tentando convencer os familiares dos presos para que mentissem nos depoimentos nas oitivas da PF.

Esses mesmos familiares de 80 presos beneficiados pela frau­de já foram intimados e, argu­mentou o delegado Guilherme Monseff, todos negaram parti­cipação no golpe. Ele comentou que “as pessoas vêm aqui e ini­cialmente rechaçam o próprio vínculo empregatício informado pela advogada. Mas, seja como for e já está apurado, elas recebe­ram indevidamente esses valo­res”, confirmou.

Os valores recebidos com o benefício deverão ser restituídos aos cofres da Previdência Social. O INSS já efetuou a cobrança administrativa e caso não surta efeito serão convertidos em me­didas judiciais contra as pessoas que receberam indevidamente os pagamentos.
A advogada foi presa e enca­minhada para a Cadeia Femini­na da Cajuru.

Anúncios

Uma resposta to “Advogada presa por fraudes de R$ 15 milhões no auxílio-reclusão em Ribeirão Preto, SP”

  1. ACORDA! A CORDA, OLHA A CORDA!
    > https://gustavohorta.wordpress.com/2017/03/22/acorda-a-corda-olha-a-corda/

    ACORDA!
    ACORDA!
    ACORDA!

    ACORDA!
    ACORDA!
    ACORDA!

    OLHA A CORDA EM SEU PESCOÇO,
    IDIOTA IDIOTIZADO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: