Deputado Federal Fernando Francischini (SD-PR) recebeu dinheiro de empresa investigada no ‘trensalão’ do PSDB. A mesma aparece na lista do doleiro Alberto Yousseff

Fabiano Portilho

Uma lista apreendida pela Polícia Federal (PF) na casa de Alberto Youssef mostra que os negócios do doleiro da Operação Lava Jato não se limitavam à Petrobras. A lista, revelada pela revista Carta Capital, mostra que Youssef, por meio de empresas de fachada, intermediou negociações entre construtoras e empresas públicas e privadas.

Na lista dos mais de 750 clientes de Youssef, além das construtoras citadas na Lava Jato aparecem cerca de cem empresas. A Delta Engenharia, o Grupo Shahin, a IHS Engenharia, a Potencial Engenharia e a CR Almeida estão entre as empresas que teriam sido representadas por Youssef nas negociações.

Tal Pai, Tal Filho…

A empresa paranaense CR Almeida S/A Engenharia de Obras financiou as campanhas do Deputado Federal Fernando Francischini e de seu filho Luis Felipe Bonatto Francischini que se candidatou a Deputado Estadual. Ambos venceram as eleições no estado do Paraná e receberam R$ 360 mil da empreiteira Paranaense.

A CR Almeida esta sendo investigada por dois escritórios de advocacia contratados pela Petrobras, para investigar a empreiteira sobre supostos superfaturamentos e irregularidades em contratos da estatal, em duas obras comandada pela empresa paranaense foram encontrados sobrepreço. São elas: Oleoduto de Angra dos Reis – Duque de Caxias e Canalização do Rio Cabuçu. A denúncia será encaminhada ao MPF.

Em Tempo, a CR Almeida esta no olho do Furacão do Cartel do Metrô em SP, comandado pelo PSDB

Os Executivos de consórcios integrados pela CR Almeida S/A Engenharia de Obras, pela OAS S/A e pela Queiroz Galvão foram denunciados em 2012 por suspeita de fraude e formação de cartel na licitação para ampliar a linha 5-lilás do Metrô de São Paulo. No total, 14 funcionários de 12 construtoras foram denunciados no caso.

Da 7ª Fase da Operação Lava Jato desencadeada na sexta-feira (14) só os executivos e funcionários da Construtora OAS e Queiroz Galvão foram presos na nova fase. Com essa investigação interna da Petrobras, à empresa paranaense CR Almeida S/A Engenharia pode fechar o ciclo de corrupção e de sociedade com as empresas do consórcio do Metrô de São Paulo.

Fabiano Portilho
Francischini conhecido como Francischini conhecido como “o tigrão”

O ex-agente da Policia Federal, e hoje deputado federal Fernando Francischini (SDD-PR), conhecido no Paraná, e agora no Brasil, como homem acima de “qualquer suspeita”, foi pego não em grampo ilegal, atividade contumaz do parlamentar. Mas sendo bancado pela CR Almeida, empresa investigada por fraudes e formação de cartel em licitações do metrô de São Paulo e do Distrito Federal. No total, a empresa suspeita doou R$ 200 mil, 20% do total arrecadado (R$ 1,1 milhões). O valor leva em conta as prestações parciais de contas feitas ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

FONTE: http://www.jornali9.com/noticias/denuncia/empreiteira-financiadora-dos-francischini-aparece-em-lista-de-alberto-yousseff

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: