Arquivo para setembro, 2016

Rombo deixado pela corrupção no governo de Alckmin em SP pode chegar a R$ 232 milhões

Posted in Sem categoria on setembro 29, 2016 by gusbrum

 

Com o dinheiro seria possível construir cerca de 480 UBSs ou 200 creches no Estado de SP

Do R7

Denúncias vieram à tona na gestão Alckmin 
Robson Fernandjes/29.11.2012/Estadão Conteúdo

Desde o início da atual gestão do governo tucano no Estado de São Paulo, pelo menos R$ 232 milhões podem ter ido parar nos bolsos de empresários e políticos em negócios suspeitos e sob investigação.

Com a verba seria possível construir cerca de 480 UBSs (Unidades Básicas de Saúde). O dinheiro também seria suficiente para erguer 200 creches (cada uma com capacidade para atender 100 crianças) ou construir 40 escolas (para 700 alunos cada).

O suposto cartel do Metrô e da CPTM, por exemplo, pode ter repassado R$ 197 milhões em propina aos envolvidos, segundo inquérito da PF (Polícia Federal).

O caso veio à tona em maio de 2013, após a empresa alemã Siemens fazer uma denúncia ao Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), o órgão antitruste do governo federal, sobre a formação de um cartel entre multinacionais para superfaturar obras e serviços de trens e do Metrô

O pagamento de propinas a autoridades estaduais e diretores de empresas públicas também está sendo investigado.

Entre os políticos que são alvos da investigação estão importantes secretários de governo do Estado de São Paulo, como Edson Aparecido (chefe da Casa Civil), José Aníbal (Energia), Jurandir Fernandes (Transportes Metropolitanos) e Rodrigo Garcia (Desenvolvimento Econômico).  Todos negam as acusações.

Mas esse é apenas o mais recente escândalo do governo estadual. Em 2011, no início da gestão, o governador Geraldo Alckmin se deparou com um suposto desvio de mais de R$ 30 milhões dos cofres do Detran-SP.

A Corregedoria da Polícia Civil suspeitou de um contrato para prestação de serviços, firmado entre 2000 e 2007. Segundo as investigações, os salários dos empregados da empresa terceirizada eram, no papel, muito superior ao real. A suspeita era que a diferença ia para o bolso de delegados.

Médicos

Meses depois, surgiu a história de médicos que recebiam dinheiro público, mas não iam trabalhar. O caso pode ter gerado um ônus de R$ 5 milhões ao cofres do governo.

A investigação da polícia e do Ministério Público indicou que os médicos recebiam salários de R$ 15 mil por mês sem trabalhar. O escândalo motivou a demissão do então secretário estadual de Esporte, Lazer e Juventude, o neurocirurgião Jorge Roberto Pagura.

Diante da crise, o governador Geraldo Alckmin determinou a realização de auditorias em todos os hospitais do Estado de São Paulo.

Emendas

Ainda em 2011, um integrante da base aliada do governo Alckmin, o deputado estadual Roque Barbiere (PTB), denunciou a existência de um esquema de venda de emendas parlamentares.

Segundo a denúncia, os deputados tinham uma cota de R$ 2 milhões para emendas ao Orçamento, lei que determina as despesas e receitas do governo do Estado.

Com essa carta na manga, os deputados negociavam com empreiteiras e prefeituras a execução de obras e, em troca, cobravam propina, segundo Barbieri.

A denúncia respingou no secretário estadual de Meio Ambiente do governo de São Paulo, Bruno Covas. O político negou envolvimento. O Conselho de Ética da Assembleia investigou o caso, mas não produziu relatórios.

A última investigação em curso contra a atuação do governo estadual recai sobre os pedágios. Há uma semana, a oposição ao governo atual na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) conseguiu aprovar a instalação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar as política de preços praticados nos pedágios do Estado.

Outro lado

Em resposta à reprotagem do R7, a assessoria de imprensa do secretário Edson Aparecido informou que “o secretário Edson Aparecido nunca foi investigado, apenas teve seu nome citado na investigação até quando no início do mês o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, pediu o arquivamento das investigações referentes ao secretário da Casa Civil de São Paulo, Edson Aparecido, do deputado Arnaldo Jardim (PPS-SP) e do senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) por não haver ‘elementos concretos’ do envolvimento deles no suposto esquema”.

20140417-EscandalosGoverno.jpg

 

FONTE: R7 http://noticias.r7.com/sao-paulo/rombo-deixado-pela-corrupcao-no-governo-de-sp-pode-chegar-a-r-232-milhoes-20042014

Privatista, Doria recebeu R$ 10,6 milhões de governos

Posted in Sem categoria on setembro 29, 2016 by gusbrum
THAIS BILENKY
DE SÃO PAULO
29/09/2016  02h00
O candidato do PSDB a prefeitura de São Paulo, João Doria, faz visita a feira livre na avenida Elísio Cordeiro de Siqueira na Vila Mangalot, na zona oeste da capital, nesta quarta-feira (28).
O candidato do PSDB a prefeitura de São Paulo, João Doria,
faz visita a feira livre na zona oeste

Apesar de seu discurso privatista, o candidato a prefeito de São Paulo João Doria (PSDB) recebeu aportes em suas empresas de pelo menos R$ 10,6 milhões de entes estatais desde 2005.

Doria não informa o faturamento de seu negócio, que inclui o Lide, organização de empresários que promove encontros periódicos entre a iniciativa privada e autoridades públicas.

Dados obtidos via Lei de Acesso à Informação revelam repasses da administração federal durante as gestões petistas de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff de cerca de R$ 6 milhões.

Do governo do Estado, comandado por seu padrinho político, Geraldo Alckmin (PSDB), as empresas de Doria receberam R$ 4,5 milhões entre 2010 e 2015. Todos os valores foram corrigidos pelo IGP-M.

A Desenvolve SP, banco de desenvolvimento do governo, patrocinou 33 eventos em valores que somam R$ 2,7 milhões. Além disso, o Executivo estadual fez anúncios nas revistas da Editora Doria que custaram R$ 1,8 milhão entre 2014 e 2015.

Em sua campanha pela prefeitura, Doria promete firmar diversas parcerias com a iniciativa privada.

Ele argumenta que concessões e privatizações na cidade economizarão recursos públicos e que “não faz sentido o Estado ser gordo e ineficiente como é”.

Como candidato, Doria combate o “jeito petista de administrar”. Mas ele fez diversos contratos com gestões petistas.

‘CANSEI’

A Petrobras investiu R$ 896 mil em empresas do Grupo Doria. Metade desse valor (R$ 448 mil) se deu em 2008, a título de patrocínio.

Naquele período, Doria aparecia no noticiário como símbolo do movimento Cansei, autodefinido como “apartidário e anticorrupção”.

Gritos de “fora, Lula” eram frequentes nos atos. Doria apoiou Alckmin na corrida presidencial contra Lula, em 2006.

Nos tempos de Cansei, Doria também se beneficiou de repasses dos Correios. Foram R$ 541 mil entre 2007 e 2008 da estatal federal.

Somando-se os recursos que seriam investidos até 2014, os Correios repassaram um total de R$ 1,8 milhão ao Grupo Doria.

Entre as contrapartidas, estavam convites a representantes dos Correios para os eventos patrocinados.

A Caixa Econômica Federal repassou R$ 160 mil entre 2013 e 2014 a fóruns de varejo e agronegócio promovidos pelo grupo do tucano. O Banco do Brasil contribuiu, em 2011, com R$ 83 mil no 2º Fórum de Empreendedores, em São Paulo. A Apex repassou R$ 2,6 milhões entre 2005 e 2015.

Já o Ministério do Esporte fez três contratos, todos durante a gestão de Orlando Silva (PC do B-SP). Em contrapartida, o então ministro teve direito a participação nos fóruns promovidos por Doria em Comandatuba (BA).

Em 2009, o ministério pagou R$ 320 mil por um estande no 8º Fórum Empresarial “visando à participação” no evento. No ano seguinte, a pasta desembolsou R$ 227 mil com o mesmo fim.

De toda a cartela de eventos realizados por Doria, o mais prestigiado é o Fórum Empresarial do Lide, organização que o tucano diz reunir 52% do PIB privado nacional.

Tradicionalmente promovido na ilha baiana de Comandatuba (foi transferido para Foz do Iguaçu recentemente), ficou famoso pelos luxos oferecidos, como massagens e sorteios.

Os convidados, que viajam e se hospedam sem custos, costumam incluir petistas e jornalistas de diversos veículos, inclusive da Folha.

OUTRO LADO

Doria afirmou não ver incongruências nos repasses. “Não há constrangimento, já que os investimentos não foram políticos e sim técnicos”, argumentou.

A campanha disse que é “exatamente como [acontece com] outros veículos incluindo os do Grupo Folha”, que edita a Folha.

Orlando Silva disse que participou dos eventos para “estimular empresas” a investir em projetos endossados pela pasta.

Disse que Doria “sempre foi crítico ao PT e o PT a ele”, mas diferenciou a relação política da institucional.

A Desenvolve SP disse que “os patrocínios foram regularmente contratados e as contrapartidas, executadas”.

Fonte: FOLHA DE SÃO PAULO

E falando de politicos cassados por partido…

Posted in Sem categoria on setembro 29, 2016 by gusbrum

14470449_1062371777211694_1038153126553807736_n.jpg

Os nomes e valores da Lista de Furnas. PSDB aparece como o maior beneficiado. Em segundo lugar vem PFL e PP

Posted in Sem categoria on setembro 28, 2016 by gusbrum
Fonte: http://jornalggn.com.br/blog/luisnassif/os-nomes-e-valores-da-lista-de-furnas

O Jornal de todos Brasis

Para quem ainda não viu a Lista de Furnas: os nomes dos políticos da oposição e os valores recebidos, veja neste link.

 

CAIXA DOIS TUCANO DE FURNAS

Relação completa de todos os polítcos que fizeram campanha usando caixa dois de FURNAS.

TUCANODUTO?

*Quem é quem e quem recebeu quanto na lista do caixa dois de Furnas *

A “Lista de Furnas”

– documento sobre um suposto esquema de caixa dois nas eleições de 2002, cuja autenticidade está sob investigação da Polícia Federal – é essencialmente uma lista tucana.

Confira nos gráficos abaixo.

Os candidatos do PSDB teriam ficado com mais de dois terços (68,3%) dos R$39,9 milhões que teriam sido distribuidos a 156 políticos por empresas fornecedoras da última grande estatal do ramo elétrico. O PFL fica com um segundo lugar bem distante, 9,3%.

Mas, segundo a “Lista”, o dinheiro do PSDB não teria sido distribuido por igual. O grosso foi para três candidatos, que disputavam os três cargos mais importantes do esquema eleitoral tucano em 2002: José Serra, que pleiteava a Presidência, Geraldo Alckmin, candidato a governador de São Paulo, e Aécio Neves, que concorreu ao governo de Minas. Os três, conforme a “Lista”, teriam ficado com mais da metade do dinheiro do esquema de Furnas. Os demais 153 políticos que constam na “Lista” teriam dividido os 45,4% que restaram.

*A filiação partidária dos 156*

O PSDB também é o primeiro colocado em número de políticos entre os 156 citados no esquema que seria operado pelo então presidente de Furnas, Dimas Toledo, levado ao cargo pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. São 47 tucanos na lista, cinco deles candidatos a cargos majoritários. O PFL comparece com 33 candidatos, apenas um a cargo majoritário (senador).

Veja a distribuição:

Outro modo interessante de ler o documento em exame na PF é comparar os nomes que constam ali com a relação dos membros da CPI dos Correios, que desde junho do ano passado investiga as denúncias de corrupção no Parlamento.

O primeiro destaque é para o deputado ACM Neto (PFL-BA), que tem se salientado pela estridência de seu desempenho na comissão. Ele teria recebido R$ 75 mil do esquema de Furnas. Quanto ao PSDB, constam da “Lista” três dos seus quatro deputados que são titulares ou suplentes da CPI. Figuram também entre os 156 um membro da CPI dos Correios pertencente ao PL e dois dos quadros do PTB.

PROVAS DOCUMENTAIS DO CAIXA DOIS TUCANO DE FURNAS

DOCUMENTO Nº DOIS

DOCUMENTO Nº TRES

DOCUMENTO Nº QUATRO

DOCUMENTO Nº CINCO

DOCUMENTO Nº SEIS

DOCUMENTO Nº SETE

CAIXA 2 DE FURNAS – DIMAS TOLEDO – 39.910 MILHÕES DE REAIS

Os dados foram transpostos para a planilha, para facilitar a visualização e para tornar a compreensão mais didática, sendo a transcrição exata e fiel do conteúdo dos documentos.

PRESIDÊNCIA
José Serra PSDB-SP

7.000.000,00

GOVERNADOR-SP
Geraldo Alckimin PSDB-SP

9.300.000,00

GOVERNADOR-MG
Aécio Neves PSDB-MG

5.500.000,00

SENADORES – RJ
Sérgio Cabral PMDB-RJ

500.000,00

Arthur da Távola PSDB-RJ

350.000,00

Marcelo Crivella PL-RJ

250.000,00

TOTAL DE SENADOR RJ

1.100.000,00

SENADOR-MG
Eduardo Azeredo PSDB-MG

550.000,00

Hélio Costa PMDB-MG

400.000,00

Zezé Perrella PFL-MG

350.000,00

TOTAL DE SENADOR MG

1.300.000,00

 

DEPUTADOS POR ESTADOS

DEPUTADOS-BA
Juthay Jr. PSDB-BA

270.000,00

Paulo Magalhães PFL-BA

250.000,00

Fábio Souto PFL-BA

200.000,00

ACM Neto PFL-BA

150.000,00

Luiz Carreira PFL-BA

100.000,00

Jairo Carneiro PFL-BA

100.000,00

João Almeida PSDB-BA

75.000,00

Gerson Gabrielli PFL-BA

75.000,00

João Leão PL-BA

75.000,00

PP
Rogério Nunes BA

75.000,00

José Carlos Aleluia PFL-BA

75.000,00

José Rocha PFL-BA

70.000,00

Aroldo Cedraz PFL-BA

50.000,00

Coriolano Sales PFL-BA

50.000,00

TOTAL DE BA

1.615.000 ,00

DEPUTADOS-ES
Luis Paulo Velloso Lucas PSDB-ES

350.000,00

José Carlos Fonseca / Francisco Gomide PFL-ES

100.000,00

Nilton Baiano PPB-ES

50.000,00

PP
TOTAL DE ES

500.000 ,00

DEPUTADOS-MA
Remi Trinta PL-MA

100.000,00

TOTAL DE MA

100.000 ,00

DEPUTADOS-MG
Dimas Fabiano Jr. PPB-MG

250.000,00

Danilo de Castro PSDB-MG

250.000,00

Mauro Lopes PMDB-MG

200.000,00

Anderson Adauto PL-MG

200.000,00

Saraiva Felipe PMDB-MG

150.000,00

Herculano Anghinetti PSDB-MG

150.000,00

Osmânio Pereira PSDB-MG

150.000,00

Toninho Andrada PSDB-MG

150.000,00

Márcio Reinaldo PPB-MG

150.000,00

PP
Vanessa Lucas PSDB-MG

150.000,00

José Militão PTB-MG

150.000,00

Márcio Reinaldo Dias Moreira PPB-MG

150.000,00

PP
João Leite PSB-MG

150.000,00

Gil Pereira PPB-MG

150.000,00

PP
Agostinho Patrus PTB-MG

150.000,00

Ana Maria Vieira PSDB-MG

150.000,00

Antônio Júlio PSDB-MG

150.000,00

Alencar da Silveira Jr. PDT-MG

150.000,00

Carlos Melles PFL-MG

100.000,00

Roberto Brant PFL-MG

100.000,00

Ronaldo Vasconcelos PMDB-MG

100.000,00

Nárcio Rodrigues PSDB-MG

100.000,00

Odelmo Leão PPB-MG

100.000,00

PP
Marcelino Siqueira MG

100.000,00

Jaiminho Martins PFL-MG

100.000,00

João Magalhães PMDB-MG

100.000,00

Júlio Delgado PPS-MG

100.000,00

Aracely de Paula PL-MG

100.000,00

José Santana PL-MG

100.000,00

Mário Assad Jr. PL-MG

100.000,00

Sebastião Navarro PFL-MG

100.000,00

Djalma Diniz PSDB-MG

100.000,00

Luiz Humberto Carneiro PSDB-MG

75.000,00

Alberto Bejani PTB-MG

75.000,00

Jairo Lessa PL-MG

75.000,00

Athos PPS-MG

75.000,00

Pastor George PTB-MG

75.000,00

Pinduca Ferreira PPB-MG

75.000,00

PP
Bispo Gilberto PMDB-MG

75.000,00

Reminho Aloise PFL-MG

75.000,00

Domingos Sávio PSDB-MG

75.000,00

Ermano Batista PSDB-MG

75.000,00

Elbe Brandão PSDB-MG

75.000,00

Paulo Piau PPS-MG

75.000,00

Gustavo Valadares PFL-MG

75.000,00

Custódio Mattos PSDB-MG

75.000,00

Paulo César DE Freitas PRTB-MG

75.000,00

Fábio Avelar PTB-MG

75.000,00

Leonardo Quintão PMDB-MG

55.000,00

Fahim Sawan PSDB-MG

55.000,00

Sebastião Costa da Silva PFL-MG

55.000,00

Amílcar Martins MG

55.000,00

Ermano Batista PSDB-MG

55.000,00

Romeu Anízio Jorge PPB-MG

55.000,00

PP
Dilzon Melo PTB-MG

55.000,00

Maria Olívia PSDB-MG

55.000,00

Mário Rodrigues MG

40.000,00

Rafael Guerra PSDB-MG

40.000,00

Eduardo Barbosa PSDB-MG

35.000,00

TOTAL DE MG

6.155.000 ,00

DEPUTADOS-MT
Pedro Henry PPB-MT

100.000,00

TOTAL DE MT

100.000 ,00

DEPUTADOS-PE
Inocêncio de Oliveira PFL-PE

185.000,00

PL
Severino Cavalcante PPB-PE

180.000,00

Joaquim Francisco PFL-PE

150.000,00

 

Armando Monteiro PTB-PE

150.000,00

Pedro Correa PPB-PE

150.000,00

Raul Jungmann PMDB-PE

150.000,00

José Múcio PTB-PE

150.000,00

TOTAL DE PE

1.115.000 ,00

DEPUTADOS-PI
Ciro Nogueira PPB-PI
150.000,00
PP
DEPUTADOS-PR
José Janene PPB-PR

150.000,00

José Borba PMDB-PR

150.000,00

Francisco Luiz Gomide PR

100.000,00

Affonso Camargo PSDB-PR

75.000,00

Aberlardo Lupion PFL-PR

75.000,00

Ricardo Barros PPB-PR

75.000,00

PP
Eduardo Sciarra PFL-PR

75.000,00

Affonso Camargo PSB-PR

50.000,00

TOTAL DE PR

750.000 ,00

DEPUTADOS-RJ
Paulo Feijó PSDB-RJ

150.000,00

Márcio Fortes PSDB-RJ

150.000,00

Alexandre Santos PSDB-RJ

100.000,00

Alice Tamborindeguy PSDB-RJ

100.000,00

Andréia Zito PSDB-RJ

70.000,00

Luiz Paulo PSDB-RJ

70.000,00

Eduardo Paes PSDB-RJ

250.000,00

Francisco Dornelles PPB-RJ

200.000,00

Rodrigo Maia PFL-RJ

200.000,00

Arold de Oliveira PFL-RJ

150.000,00

Bispo Rodrigues PL-RJ

150.000,00

Washinton Reis PMDB-RJ

100.000,00

Leonardo Picciane PMDB-RJ

100.000,00

Nelson Bornier PMDB-RJ

100.000,00

Eduardo Cunha PMDB-RJ

100.000,00

Roberto Jefferson PTB-RJ

75.000,00

Almerinda de Carvalho PMDB-RJ

75.000,00

Dr. Carlão PRONA-RJ

75.000,00

Jair Bolsonaro PPB-RJ

50.000,00

Simão Sessim PPB-RJ

50.000,00

Júlio Lopes PPB-RJ

50.000,00

Dr. Heleno PSC-RJ

50.000,00

Pastor Almir PL-RJ

50.000,00

TOTAL DE RJ

2.465.000 ,00

DEPUTADOS-SC
Gervásio Silva PFL-SC

75.000,00

Zonta PPB-SC

75.000,00

PP
Paulo Bauer PFL-SC

75.000,00

PSDB
Serafim Venzon PSDB-SC

75.000,00

João Pizzolatti PPB-SC

75.000,00

PP
Fernando Coruja PPS-SC

75.000,00

TOTAL DE SC

450.000 ,00

DEPUTADOS-SP
Valdemar Costa Neto PL-SP

250.000.00

Vadão Gomes PPB-SP

150.000,00

Antonio Carlos Pannunzio PSDB-SP

150.000,00

Aberto Goldman PSDB-SP

150.000,00

Walter Feldman PSDB-SP

100.000,00

Gilberto Kassab PFL-SP

100.000,00

João Batista PFL-SP

100.000,00

PP
Luis Antônio Fleury PTB-SP

100.000,00

Medeiros PTB-SP

100.000,00

Nelson Marquezelly PTB-SP

100.000,00

Robson Tuma PFL-SP

100.000,00

Arnaldo Faria de Sá PTB-SP

100.000,00

Zulaiê Cobra PSDB-SP

75.000,00

Chico Sardelli PFL-SP

75.000,00

PV
Xico Graziano PSDB-SP

75.000,00

Dimas Ramalho PPS-SP

75.000,00

Antonio Carlos Mendes PSDB-SP

75.000,00

Luiz Carlos Santos PFL-SP

70.000,00

João Baptista PFL-SP

70.000,00

PP
Aluízio Nunes Ferreira PSDB-SP

50.000,00

Carlos Sampaio PSDB-SP

50.000,00

Lobbe Neto PSDB-SP

50.000,00

Silvio Torres PSDB-SP

50.000,00

Walter Barelli PSDB-SP

50.000,00

TOTAL DE SP

2.265.000 ,00

 

DEPUTADOS POR PARTIDOS

NÃO IDENTIFICADOS
Marcelino Siqueira MG

100.000,00

Amílcar Martins MG

55.000,00

 
Mário Rodrigues MG

40.000,00

   

DEPUTADOS-PDT
Alencar da Silveira Jr. PDT-MG

150.000,00

TOTAL DO PDT

150.000,00

DEPUTADOS-PFL
Paulo Magalhães PFL-BA

250.000,00

Fábio Souto PFL-BA

200.000,00

Rodrigo Maia PFL-RJ

200.000,00

Inocêncio de Oliveira PFL-PE

185.000,00

PL
ACM Neto PFL-BA

150.000,00

Joaquim Francisco PFL-PE

150.000,00

José Carlos Fonseca / FranciscoGomide PFL-ES

100.000,00

Arold de Oliveira PFL-RJ

150.000,00

Luiz Carreira PFL-BA

100.000,00

Jairo Carneiro PFL-BA

100.000,00

Carlos Melles PFL-MG

100.000,00

Roberto Brant PFL-MG

100.000,00

Jaiminho Martins PFL-MG

100.000,00

Sebastião Navarro PFL-MG

100.000,00

Gilberto Kassab PFL-SP

100.000,00

João Batista PFL-SP

100.000,00

PP
Robson Tuma PFL-SP

100.000,00

Gerson Gabrielli PFL-BA

75.000,00

José Carlos Aleluia PFL-BA

75.000,00

Reminho Aloise PFL-MG

75.000,00

Gustavo Valadares PFL-MG

75.000,00

Aberlardo Lupion PFL-PR

75.000,00

Eduardo Sciarra PFL-PR

75.000,00

Gervásio Silva PFL-SC

75.000,00

Paulo Bauer PFL-SC

75.000,00

PSDB
Robério Nunes PFL-BA

75.000,00

Chico Sardelli PFL-SP

75.000,00

PV
José Rocha PFL-BA

70.000,00

Luiz Carlos Santos PFL-SP

70.000,00

João Baptista PFL-SP

70.000,00

PP
Sebastião Costa da Silva PFL-MG

55.000,00

Aroldo Cedraz PFL-BA

50.000,00

Coriolano Sales PFL-BA

50.000,00

TOTAL DO PFL

3.450.000 ,00

DEPUTADOS-PL
Valdemar Costa Neto PL-SP

250.000.00

Anderson Adauto PL-MG

200.000,00

Bispo Rodrigues PL-RJ

150.000,00

Remi Trinta PL-MA

100.000,00

Aracely de Paula PL-MG

100.000,00

José Santana PL-MG

100.000,00

Mário Assad Jr. PL-MG

100.000,00

João Leão PL-BA

75.000,00

PP
Jairo Lessa PL-MG

75.000,00

Pastor Almir PL-RJ

50.000,00

TOTAL DO PL

1.200.000 ,00

DEPUTADOS-PMDB
Mauro Lopes PMDB-MG

200.000,00

Saraiva Felipe PMDB-MG

150.000,00

Raul Jungmann PMDB-PE

150.000,00

José Borba PMDB-PR

150.000,00

Ronaldo Vasconcelos PMDB-MG

100.000,00

João Magalhães PMDB-MG

100.000,00

Washinton Reis PMDB-RJ

100.000,00

Leonardo Picciane PMDB-RJ

100.000,00

Nelson Bornier PMDB-RJ

100.000,00

Eduardo Cunha PMDB-RJ

100.000,00

Bispo Gilberto PMDB-MG

75.000,00

Almerinda de Carvalho PMDB-RJ

75.000,00

Leonardo Quintão PMDB-MG

55.000,00

TOTAL DO PMDB

1.455.000 ,00

DEPUTADOS-PPB
Dimas Fabiano Jr. PPB-MG

250.000,00

PP
Francisco Dornelles PPB-RJ

200.000,00

PP
Severino Cavalcante PPB-PE

180.000,00

PP
Márcio Reinaldo PPB-MG

150.000,00

PP
Márcio Reinaldo Dias Moreira PPB-MG

150.000,00

PP
Gil Pereira PPB-MG

150.000,00

PP
Ciro Nogueira PPB-PE

150.000,00

PP
Pedro Correa PPB-PE

150.000,00

PP
José Janene PPB-PR

150.000,00

PP
Vadão Gomes PPB-SP

150.000,00

PP
Odelmo Leão PPB-MG

100.000,00

PP
Pedro Henry PPB-MT

100.000,00

PP
Pinduca Ferreira PPB-MG

75.000,00

PP
Ricardo Barros PPB-PR

75.000,00

PP
Zonta PPB-SC

75.000,00

PP
João Pizzolatti PPB-SC

75.000,00

PP
Romeu Anízio Jorge PPB-MG

55.000,00

PP
Nilton Baiano PPB-ES

50.000,00

PP
Jair Bolsonaro PPB-RJ

50.000,00

PP
Simão Sessim PPB-RJ

50.000,00

PP
Júlio Lopes PPB-RJ

50.000,00

PP
TOTAL DO PPB

1.455.000 ,00

DEPUTADOS-PPS
Júlio Delgado PPS-MG

100.000,00

Athos PPS-MG

75.000,00

Paulo Piau PPS-MG

75.000,00

Fernando Coruja PPS-SC

75.000,00

Dimas Ramalho PPS-SP

75.000,00

TOTAL DO PPS

400.000 ,00

DEPUTADOS-PRONA
Dr. Carlão PRONA-RJ

75.000,00

TOTAL DO PRONA

75.000 ,00

DEPUTADOS-PRTB
Paulo César de Freitas PRTB-mg

75.000,00

TOTAL DO PRTB

75.000 ,00

DEPUTADOS-PSB
João Leite PSB-MG

150.000,00

TOTAL DO PSB

150.000 ,00

DEPUTADOS-PSC
Dr. Heleno PSC-RJ

50.000,00

TOTAL DO PSC

50.000 ,00

DEPUTADOS-PSDB
Luis Paulo Velloso Lucas PSDB-ES

350.000,00

Juthay Jr. PSDB-BA

270.000,00

Danilo de Castro PSDB-MG

250.000,00

Eduardo Paes PSDB-RJ

250.000,00

Ana Maria Vieira PSDB-MG

150.000,00

Herculano Anghinetti PSDB-MG

150.000,00

Osmânio Pereira PSDB-MG

150.000,00

Toninho Andrada PSDB-MG

150.000,00

Vanessa Lucas PSDB-MG

150.000,00

Antônio Júlio PSDB-MG

150.000,00

Paulo Feijó PSDB-RJ

150.000,00

Márcio Fortes PSDB-RJ

150.000,00

Antonio Carlos Pannunzio PSDB-SP

150.000,00

Aberto Goldman PSDB-SP

150.000,00

Nárcio Rodrigues PSDB-MG

100.000,00

Djalma Diniz PSDB-MG

100.000,00

Alexandre Santos PSDB-RJ

100.000,00

Alice Tamborindeguy PSDB-RJ

100.000,00

Walter Feldman PSDB-SP

100.000,00

João Almeida PSDB-BA

75.000,00

Luiz Humberto Carneiro PSDB-MG

75.000,00

Domingos Sávio PSDB-MG

75.000,00

Ermano Batista PSDB-MG

75.000,00

Elbe Brandão PSDB-MG

75.000,00

Custódio Mattos PSDB-MG

75.000,00

Affonso Camargo PSDB-PR

75.000,00

Serafim Venzon PSDB-SC

75.000,00

Zulaiê Cobra PSDB-SP

75.000,00

Xico Graziano PSDB-SP

75.000,00

Antonio Carlos Mendes PSDB-SP

75.000,00

Andréia Zito PSDB-RJ

70.000,00

Luiz Paulo PSDB-RJ

70.000,00

Fahim Sawan PSDB-MG

55.000,00

Ermano Batista PSDB-MG

55.000,00

Maria Olívia PSDB-MG

55.000,00

Affonso Camargo PSDB-PR

50.000,00

Aluízio Nunes Ferreira PSDB-SP

50.000,00

Carlos Sampaio PSDB-SP

50.000,00

Lobbe Neto PSDB-SP

50.000,00

Silvio Torres PSDB-SP

50.000,00

Walter Barelli PSDB-SP

50.000,00

Rafael Guerra PSDB-MG

40.000,00

Eduardo Barbosa PSDB-MG

35.000,00

TOTAL DO PSDB

4.625.000 ,00

DEPUTADOS-PTB
José Militão PTB-MG

150.000,00

Agostinho Patrus PTB-MG

150.000,00

Armando Monteiro PTB-PE

150.000,00

José Múcio PTB-PE

150.000,00

Luis Antônio Fleury PTB-SP

100.000,00

Medeiros PTB-SP

100.000,00

Nelson Marquezelly PTB-SP

100.000,00

Arnaldo Faria de Sá PTB-SP

100.000,00

Pastor George PTB

75.000,00

Alberto Bejani PTB-MG

75.000,00

Fábio Avelar PTB-MG

75.000,00

Roberto Jefferson PTB-RJ

75.000,00

Dilzon Melo PTB-MG

55.000,00

TOTAL DO PTB

1.355.000 ,00

JUSTIÇA SELETIVA

Posted in Sem categoria on setembro 28, 2016 by gusbrum

14484878_155160394939099_3685563139569883653_n.jpg

Delator Fernando Baiano confirma denúncia contra Paulo Henrique Cardoso,(filho do ex-presidente Fernando Henrique-FHC) em esquema na Petrobras

Posted in Sem categoria on setembro 28, 2016 by gusbrum
Postado em 28 de setembro de 2016 às 12:28 pm

 

Do Tijolaço:

 

Primeiro, foi Nestor Cerveró que disse ter recebido ordens para colocar uma empresa ligada ao filho do também então Presidente da República Fernando Henrique Cardoso, a PSR, no negócio da Termorio, uma empresa constituída nos tempos do apagão, quando a Petrobras fazia contratos ruinosos para participar do capital e comprar a energia a altíssimo preço, em quantidades asseguradas.

O filho de FHC, Paulo Henrique Cardoso, disse que era tudo mentira de um “encarcerado”.

Semana passada, discretamente, divulgou-se o vídeo em que o lobista Fernando Baiano confirma a história, dizendo que recebeu a informação de Delcídio do Amaral, então diretor de Gás e Energia da Petrobras.

O trecho do vídeo está aí, no final do post, para quem quiser assistir. A íntegra pode ser assistida aqui.

Fonte: http://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/delator-fernando-baiano-confirma-denuncia-contra-filho-de-fhc-em-esquema-na-petrobras/

 

Bahamas Leaks mostra brasileiros com conta em paraíso fiscal; José Roberto Marinho e o filho estão na lista

Posted in Sem categoria on setembro 28, 2016 by gusbrum

Postado em 28 de setembro de 2016 às 1:11 pm

 

Da coluna de Fernando Rodrigues no Uol:

Grandes empresários, um dos fundadores do Partido Novo e um ex-presidente do BNDES estão entre os brasileiros donos de empresas offshore nas Bahamas, pequena ilha no Caribe conhecida por ser um paraíso fiscal.

As informações têm como base uma nova investigação do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ, em inglês). A organização tornou público um banco de dados com 175 mil registros de empresas nas Bahamas.

Entre as centenas de pessoas físicas ou jurídicas do Brasil que aparecem com offshores registradas no país caribenho, o Blog fez uma varredura para checar nomes sobre os quais há interesse público ou relevância jornalística –pela exposição que têm ou tiveram na sociedade. Estão nessa categoria políticos e agentes públicos, grandes empresários, executivos de grandes empresas e dirigentes de estatais e partidos políticos. Leia ao final deste post as listas de nomes que foram checadas pelo Blog.

Nesse processo de cruzar nomes com o banco de dados de offshores nas Bahamas, já foram descobertos e divulgados pelo Blog pelo menos 7 investigados na Lava Jato.

Ter uma offshore não é ilegal. O ICIJ inclusive faz essa ressalva a todos que pesquisam nomes de pessoas e de empresas: “Há uso legítimo de companhias offshores e trusts”. A organização não tem “intenção de sugerir ou inferir que pessoas, empresas ou qualquer entidade infringiram a lei”.

A afirmação vale para o Brasil. Um brasileiro pode ter uma offshore legalmente desde que a declare em seu Imposto de Renda. Caso tenha havido remessa de dinheiro ao exterior, quantias acima de US$ 100 mil devem ser informadas ao Banco Central.

(…)

Grupo Globo: José Roberto Marinho e Paulo Daudt Marinho
Vice-presidente do Grupo Globo e presidente da Fundação Roberto Marinho, o empresário José Roberto Marinho está relacionado à offshoreNew World Real Estate Services Limited.

O executivo do Grupo Globo Paulo Daudt Marinho consta como diretor da offshore Canary Global Ltd. Paulo Marinho é filho de José Roberto Marinho.

Nos 2 casos, a assessoria da família Marinho disse que as empresas foram declaradas à Receita Federal.

Fonte: http://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/bahamas-leaks-mostra-brasileiros-com-conta-em-paraiso-fiscal-jose-roberto-marinho-e-o-filho-estao-na-lista/