Fraude de mais de R$ 48 milhões nos Hospitais do Rio de Janeiro

A Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e de Inquéritos Especiais (Draco/IE) prendeu nesta quarta-feira (9) oito pessoas acusadas de formar uma quadrilha que fraudou mais de R$ 48 milhões por meio de compras superfaturadas de materiais e pagamentos por serviços não prestados. Os acusados integram a Organização Social (OS) Biotech Humanas, responsável por gerenciar os hospitais municipais Pedro II e Ronaldo Gazolla.

Na operação, foram presos Carlos Eduardo Sabino dos Santos, Eduardo de Moraes Bonifácio, Cristina Izabel Cezário Turatti, Maurílio Turatti, João Mauro Turatti, Wagner Viveiros Pelegrine, Valter Pelegrine Júnior e Bruno Simões Correia. Continua foragido Edson da Cruz Correia. Os acusados foram denunciados pelos crimes de peculato e falsidade em organização criminosa.

Os agentes também apreenderam seis automóveis (Mercedes SLK 250, Mercedes G63 AMG, Porsche Cayenne, Range Rover Evoque, Bentley Cont. GT modelo 2012 e Ferrari Califórnia), além de uma motocicleta modelo BMW R 1200; 40 relógios das marcas Rolex, Mont Blanc, Pathek Phillipe, Panerai, Jager-Le Coulter, Allan Gisoni, Breitling, Hublot, Baume & Mercier, 200 peças de jóias e dinheiro (R$ 1.459, 590 milhão, US$ 12,8 mil, 145 libras esterlinas, 11,3 mil euros e 15 mil liras turcas).

Mais cedo, o Jornal do Brasil informou que o presidente da Biotech, Valter Pelegrine Júnior teria fugido às 4 horas da madrugada de seu apartamento no luxuoso condomínio Golden Green, que fica no número 5.100 da Avenida Sernambetiba, na Barra da Tijuca, a bordo de seu carro de luxo Bentley.

Segundo informações, Valter teria inclusive comprado o primeiro andar inteiro do prédio de luxo para montar uma academia de ginástica avaliada em R$ 7 milhões. Ele ocupa o terceiro andar do condomínio de luxo, e goza de uma vida bem diferente da que tinha 10 anos atrás, quando ele e o irmão, Wagner, moravam num quarto e sala em Nova Iguaçu.

Prefeito do Rio afirma que dinheiro será recuperado

O prefeito Eduardo Paes (PMDB) determinou o afastamento imediato dos gestores da Biotech, responsáveis pela administração dos hospitais Pedro II, Raul Gazolla e o Hospital de Acari. Durante o lançamento das obras de uma clínica da família, em Benfica, o prefeito se pronunciou sobre o caso.

“A prefeitura vai colaborar com a polícia. Se a fraude se confirmar, os culpados devem ser punidos e, se Deus quiser, o dinheiro será recuperado”, afirmou Eduardo Paes.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que as Comissões Técnicas de Avaliação (CTA) dos hospitais já vinham sendo questionadas em relação aos gastos e às prestações de contas.

“Em virtude da falta de resposta aos questionamentos feitos quanto a este contrato, a SMS publicou no Diário Oficial de 7 de dezembro autorização para novo chamamento público visando a substituição da Biotech na unidade a partir de janeiro de 2016”. Informa a secretaria.

http://www.jb.com.br/rio/noticias/2015/12/09/quadrilha-que-mantinha-contratos-com-hospitais-superfaturava-e-pagava-por-servicos-nao-prestados/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: