Dinheiro público é desviado em milhões para cobrir cachês de cantores

Uma reportagem publicada pelo Portal R7 revela um dos grandes dutos por onde escorre dinheiro público sem que muitas vezes a população se dê conta: cachês milionários para pagamento de artistas em shows ao ar livre. Do popular ao sertanejo, do Axé ao Ieieiê, o dinheiro é democrático embora a decisão pelo gasto passe ao largo da opinião pública. Conheça os artistas e seus cachês astronômicos.

Shows gratuitos nas ruas, avenidas, praias e até hospitais, no fim das contas, custam (muito) caro aos brasileiros. Artistas como Ivete Sangalo, a banda Restart, Luan Santana, Claudia Leitte, Roberto Carlos e Steve Wonder cobraram até R$ 6,4 milhões dos cofres públicos por uma única apresentação!

O R7 revirou documentos oficiais municipais e estaduais para provar, nas imagens a seguir, quanto cada artista embolsou. Descubra os cachês!

Restart: a banda adolescente está entre as que receberam grana do povo para se apresentar (vide foto do pagamento, em destaque). Eles participaram do projeto “Mil Dias para a Copa”, em Brasília, e cantou, em setembro de 2011, no estacionamento do Estádio Nacional Mané Garrincha por R$ 110 mil.

http://www.brasiliaempauta.com.br/public/img/general/imagens_upload/_medias/M_6258cantores.jpgO próximo cachê é muito mais “meteórico”; veja a seguir:

Luan Santana: o astro pop embolsou R$ 500 mil à vista do governo do Ceará para cantar em Fortaleza na última virada de ano, chamada de “Réveillon da Solidariedade”. Ele não é o único, porém, a receber grandes cachês com dinheiro do povo. Veja quem mais faturou alto (e outros, nem tanto) nas próximas imagens

Ivete Sangalo: a cantora baiana recebeu, em janeiro deste ano, R$ 650 mil do governo do Ceará no show de inauguração de um hospital no município de Sobral. O cachê, em destaque, como mostra o documento acima, foi contestado pelo Ministério Público Federal. A fachada do hospital, a propósito, desabou um mês depois da festa.

Ivete Sangalo se recusou a cantar este ano na Micareta da Feira de Santana (Bahia), que ocorre desde 1937, por causa do cachê “pequeno” de R$ 350 mil – ela pediu R$ 500 mil. O valor nem se compara à quantia paga à artista pela Prefeitura de Fortaleza no réveillon de 2011: R$ 840 mil. No destaque da imagem acima, você a ordem de pagamento publicada no Diário Oficial do Estado. Tem cachê sete vezes maior que este; veja a seguir:

Zezé di Camargo & Luciano: a dupla sertaneja recebeu R$ 500 mil à vista do governo do Ceará para se apresentar na virada de 2012/2013 no Aterro da Praia de Iracema, em Fortaleza, capital do Estado. Nessa época, vale ressaltar, os cachês costumam ser maiores que em outros períodos do ano.

Sorriso Maroto: a banda carioca de pagode marcou presença no evento “Aniversário da fundação da cidade do Rio de Janeiro”, no ano passado, e também levou para casa R$ 500 mil, como prova a imagem acima. O valor inclui os gastos com a infraestrutura do show.

Cláudia Leitte: ela cantou no projeto “Mil Dias para a Copa”, em 2011, em Brasília, ao lado da banda Restart e da cantora Daniela Mercury. O cachê recebido foi de R$ 460 mil. A próxima atração é internacional e também custou caro aos cofres públicos

Billy Paul: vira e mexe uma atração internacional desembarca no País para uma apresentação “gratuita” ao público. Na última virada de ano em Fortaleza (Ceará), o cantor norte-americano e sua banda receberam R$ 400 mil dos cofres públicos para tocar a sua música soul. Tem mais astros que receberam grana pública; leia a seguir:

Péricles: a sua apresentação no show da virada 2012/2013 em Rio Branco (Acre) custou R$ 295,5 mil aos cofres do Estado. Na bolada estão inclusos o cachê do músico (R$ 170 mil) e despesas com passagens aéreas, impostos, translado, alimentação e excesso de bagagens. Sim, o contribuinte pagou até pelo excesso de bagagens de Péricles e sua turma, como mostra o documento oficial no destaque acima.

Aviões do Forró: a banda cearense, que completou dez anos de carreira no ano passado, também esteve no grande show da virada de 2012/2013 em Fortaleza, que custou cerca de R$ 2 milhões aos cofres do Ceará. O cachê recebido foi de R$ 250 mil à vista. A próxima banda foi tocar no Acre, veja a seguir quanto ficou essa conta

Fundo de Quintal: o grupo de samba recebeu R$ 195 mil do governo do Acre para tocar no show de réveillon de 2011/2012 na cidade de Rio Branco, capital do Estado. Achou a quantia cara? No valor estavam inclusos impostos, cachê, transporte aéreo e hospedagem dos músicos.

Daniela Mercury: a cantora baiana participou do projeto “Mil Dias para a Copa” cantando no estacionamento do Estádio Nacional Mané Garrincha (Brasília) em setembro de 2011, por R$ 180 mil. O próximo cantor já teve cabelo rastafári, foi tropicalista e ministro da cultura. Sabe quem é? Pois é, recebeu milhões!

Gilberto Gil: na Virada Cultural de 2012, em São Paulo, o cantor e ex-ministro da cultura recebeu R$ 150 mil à vista da Prefeitura da cidade após a sua apresentação cheia de hits no Palco Júlio Prestes, na praça homônima. O R7 revirou documentos oficiais municipais e estaduais para provar, nas imagens a seguir, quanto cada artista embolsou

Humoristas: Danilo Gentili (à direita), Maurício Meirelles (centro) e Tom Cavalcante (à esquerda) fizeram parte do grupo de 28 comediantes contratados para animar a edição paulistana da Virada Cultural de 2012, por R$ R$ 137,9 mil. Se a divisão da bolada foi igualitária, cada um levou para casa R$ 4.925

Fábio de Melo: o padre, que também é cantor, foi contratado em julho do ano passado pela Prefeitura de Cachoeiro de Itapemirim (Espírito Santo) para um show na Festa de Cachoeiro 2012. O cachê de R$ 103 mil é maior que o cobrado por uma famosa banda de rock brasileira; descubra qual é na imagem a seguir.

Titãs: a banda de rock desfilou os sucessos do álbum Cabeça Dinossauro (1986) na oitava edição paulistana da Virada Cultural, que rolou em 2012. O cachê para os cinco integrantes da banda foi modesto, se comparado a outras cifras apuradas nesta reportagem: R$ 65 mil.

Waldonys: nem sempre os cachês dos eventos públicos são tão ostensivos. Na última festa de réveillon em Fortaleza (Ceará), o governo estadual pagou R$ 45 mil ao cantor e sanfoneiro, com a justificativa de que ele “é um dos nomes mais festejados do cenário musical brasileiro”.

Alceu Valença: o cantor pernambucano foi contratado pela Secretaria de Estado de Cultura do Distrito Federal, em 2011, para se apresentar no IV Festival Nacional de Repentistas do DF e Entorno. O custo da apresentação foi de R$ 40 mil aos cofres públicos. A próxima cantora veio de um reality show. Quer saber o cachê dela?

Nayra Costa e Banda: participante do programa The Voice Brasil (Rede Globo), ela dividiu com sua banda o cachê de R$ 40 mil para tocar no último réveillon de Fortaleza. Nas próximas imagens há um ex-mutante, uma banda que anda meio esquecida pelo público e os maiores cachês desta reportagem. Arrisca um palpite?

Arnaldo Baptista: o ex-mutante foi uma das atrações da Virada Cultural de São Paulo em 2012. Ele tocou os seus sucessos no Theatro Municipal e cobrou R$ 28 mil pela apresentação de cerca de uma hora. A próxima banda fez muito sucesso, mas anda meio esquecida. Descubra a seguir

Virgulóides: Lembra-se da banda paulistana de samba-rock? Ele tocaram no Largo do Arouche, em São Paulo, durante a última Virada Cultural da cidade, em 2012. A apresentação de uma hora custou R$ 9.000 aos cofres públicos, muito diferente do cachê milionário a seguir

Stevie Wonder e Gilberto Gil: causou polêmica o pagamento de R$ 7 milhões pagos pela Prefeitura do Rio de Janeiro aos shows dos cantores no natal de 2012, sobretudo porque o nome deles não constava no contrato do Diário Oficial – vide acima. O próximo cachê, o mais caro desta reportagem, é do rei da música nacional. O R7 revirou documentos oficiais municipais e estaduais para provar, nas imagens a seguir, quanto cada artista embolsou.

Roberto Carlos: o rei recebeu R$ 6,4 milhões da Prefeitura do Rio de Janeiro pelo show de Natal na praia de Copacabana, em 2010, como prova a ordem de pagamento que você vê acima. Na época, a Secretaria de Turismo disse que a quantia foi compensada pelo aumento dos turistas na cidade maravilhosa. Trata-se do maior cachê pago a um artista no Brasil por uma única apresentação. É bom lembrar que ele é o principal caçador de livros biográficos no país. Impiedoso. Mas quando se trata de cachê com verba pública o Rei não vê problema.

No fim das contas, os cofres públicos gastaram, apenas com os artistas desta reportagem, um total de R$ 18,7 milhões.

Do Portal R7 e Conexão Jornalismo

http://www.brasiliaempauta.com.br/artigo/ver/categoria/saude/id/3139/nome/Dinheiro_publico_e_desviado_em_milhoes_para_cobrir_caches_de_cantores

Anúncios

2 Respostas to “Dinheiro público é desviado em milhões para cobrir cachês de cantores”

  1. GORVENANTES FILADAPUTA!! IMUNDOS, INDECENTES, CORRUPTOS…AGORA CORTOU O DINHEIRO: FIES, PRONATEC, PROUNE, QUE (SÃO PARA A EDUCAÇÃO), SAÚDE, REMÉDIOS.MALDITOS ISSO O POVO BRASILEIRO VAI SABER GERAL….VAMOS PARAR ESSE PAÍS.

  2. Napezzini Says:

    Pura sujeira e roubalheira do dinheiro dos pobres doentes deste e miseráveis do Brasil.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: