Arquivo de fevereiro, 2010

Filha do secretário da Fazenda de Goias é acusada de extorquir entidade

Posted in 1 on fevereiro 6, 2010 by gusbrum

O Ministério Público (MP) de Goiás está investigando denúncia de extorsão contra a filha do secretário estadual da Fazenda, Jorcelino Braga. Aniela Braga estaria cobrando 10% de comissão sobre os recursos liberados pelo governo do Estado para a Associação Renascer da Fé (Renafé), segundo acusação feita pela presidente da entidade, Ivone Francisco dos Santos. Ivone foi ouvida duas vezes pelo MP e mostrou vídeo onde Aniela recebe R$ 4,8 mil, mais três pacotes de dinheiro com valor indeterminado, supostamente frutos da extorsão.

Jorcelino Braga disse ontem em entrevista que tomou conhecimento da denúncia dia 22 de janeiro, por meio de telefonema anônimo, e que foi até o MP narrar sua versão dos fatos e pedir apuração. “Se ela fez alguma coisa errada, terá de pagar”, afirmou o secretário. Ele disse que Aniela é fruto de um primeiro relacionamento, a mais velha de seus seis filhos, e que tem pouca convivência com ela (leia abaixo). A mãe de Aniela disse que a filha vai responder às acusações, mas não agora, porque está sofrendo com um caso grave de doença na família.

A Renafé é uma entidade filantrópica fundada em 2000 por Ivone para cuidar de crianças em situação de risco e doentes de câncer. Em 2007, Ivone afirma que foi procurada por Aniela que dizia ter condições de ajudar a associação financeiramente porque o pai havia sido nomeado secretário da Fazenda.
Aniela promoveu um encontro entre Braga e Ivone. Em seguida, a associação recebeu a visita do então presidente da Celg, Ênio Branco, que liberou R$ 54 mil para a Renafé acertar dívidas. Em 2008, Ivone passou a receber R$ 23.452 por mês de convênio com a Celg, não foi renovado em 2009. Outro convênio, assinado ainda em 2008 com a Secretaria de Saúde, no valor de R$ 248 mil, teve os recursos liberados em meados de 2009.

Vídeo

A gravação apresentada por Ivone como prova da extorsão refere-se à suposta comissão que teria sido cobrada por Aniela pela liberação de R$ 248 mil. A conversa entre as duas começa por um projeto de lei prevendo a transferência de R$ 216 mil para a entidade por meio de convênio com a Secretaria de Cidadania do Estado.

O projeto foi retirado da pauta do Legislativo minutos antes de ser votado. Segundo o site da Assembleia, a matéria foi retirada pelo governo.

No vídeo, Ivone diz a Aniela que interpretou a medida do governo como alguma possível retaliação: “Até falei com a doutora: vou sair doida aí, arrumar esse dinheiro emprestado, dar os R$ 4,8 mil pra Aniela, porque às vezes ela tá meio recuando porque faltou esse dinheiro”. Aniela afirma: “Isso aqui tem de conversar é com o dono dos porcos, porque é tudo subalterno. A ordem tem de vir de cima”. Ivone pergunta quem é o “dono dos porcos” e Aniela responde: “Meu pai”.

Quando concluem a discussão sobre o projeto do convênio com a Cidadania, Ivone pede para Aniela dar um desconto na comissão. “Queria ver uma coisa com você, Aniela, pra fazer uma comissão mais baixa… 5%, porque aqui é dose, minha filha”.

Aniela tenta desconversar, mas Ivone insiste. “Esse da Saúde, por exemplo, deu R$ 24,8 mil (10% do total de R$ 248 mil). Cinco por cento dá R$ 12,4 mil (…) E aí eu vou dar um jeito (…) Quando você falar ‘falei com meu pai, o trem tá organizado’ (…) vou ajeitando aí para você, pagando adiantado”, argumenta Ivone. Aniela responde: “Certo”.

Na sequência, Ivone fala para Aniela sobre um outro possível caso de extorsão, desta vez com um suposto dono de entidade filantrópica no interior do Estado que teria R$ 500 mil para receber do Estado. “Nesse caso aí tem de ver, né? Não dá pra cobrar só 10%, não (…) E você sabe, né? Que quando eu ponho a mão na massa o trem sai, né?”, ressalta Aniela.

No final, Aniela pega vários bolos de dinheiro que Ivone conta e diz que tem R$ 4,8 mil. Enquanto recebe, promete: “Vou ver se consigo falar com Idelma. O negócio é que tá uma má vontade lá na Saúde que eu vou te contar. O duro é que o negócio lá tem de ser pessoalmente”.

Aniela coloca o dinheiro no bolso da frente da calça jeans. Elas continuam conversando, Aniela se levanta, chega mais perto de Ivone, pega o dinheiro do bolso da frente e passa para o bolso de trás. E bate no bolso. Em outro vídeo, Ivone diz: “Vamos combinar. É 10% de tudo que você arrumar pra mim e você vai correr atrás?”. Aniela disse: “Vou. Pode contar comigo”.

Braga diz que colocou cargo à disposição

Dizendo-se “triste” e “surpreso” com as denúncias contra a filha Aniela Braga, o secretário da Fazenda Jorcelino Braga negou qualquer participação no suposto esquema de extorsão contra a Associação Renascer

da Fé (Renafé) e defendeu a apuração dos fatos. Ele diz que já comunicou o caso ao governador e colocou seu cargo à disposição. “Ele disse que, por enquanto, não (quer que eu deixe a Secretaria da Fazenda)”, afirmou o secretário.

Braga diz que o encontro entre ele e Ivone Francisco dos Santos, presidente da Renafé, em 2007, foi o único dia em que Aniela foi recebida por ele em seu gabinete. O secretário conta que ficou sabendo da denúncia por um telefonema anônimo quando estava em Brasília. No mesmo dia, quando chegou a Goiânia, foi ao Ministério Público de Goiás registrar sua versão dos fatos.

O termo de declaração foi colhido pelo chefe de gabinete do procurador-geral de Justiça, Eduardo Abdon, que estava fora de Goiânia. Tanto em seu depoimento quanto na entrevista ao POPULAR, Braga explicou que Aniela é fruto do seu primeiro relacionamento. É a mais velha de seus seis filhos e que não tem convivência diária com ela.

“É uma pessoa madura, tem mais de 30 anos. Tem de apurar. E minha filha, se fez alguma coisa errada, que vá pagar”, pondera Braga.

O secretário diz que “não teve coragem” de assistir ao vídeo e que também não falou mais com a filha depois que ficou sabendo das denúncias.

“Mandei meu filho lá na casa dela para saber o que estava acontecendo. A informação que me passaram é que ela teria trabalhado nessa organização, que foi lá receber um dinheiro e que não recebeu seu salário”. Ele acrescenta: “Não vou entrar nessa seara. Acho que isso tem de ser apurado”.

Pensão

Em seu depoimento, Braga conta ainda que o encontro de seu filho com Aniela para tirar satisfação ocorreu na frente da mãe dela. A jovem teria dito que fez uma “assessoria” para a Renafé, acrescentando que não estaria recebendo a pensão de R$ 1,3 mil do pai.

A pensão tinha o objetivo de pagar a faculdade de Aniela, que se formou em Direito no início deste ano.

O rapaz teria desmentido a informação, dizendo que era ele quem repassava o dinheiro para Aniela.

“Então, Aniela confirmou perante sua mãe que realmente está recebendo o referido montante mensal”, disse Braga ao MP.

Ele destacou ainda que não tem como informar se a filha usou ou não indevidamente o seu nome e prestigio decorrente do cargo para liberar o convênio ou qualquer repasse junto à Secretaria da Saúde.

Sobre o dia em que conheceu Ivone, Braga conta que ficou comovido com as dificuldades relatadas pela presidente da Renafé e fez uma vaquinha entre os funcionários da Sefaz para dar R$ 1,35 mil a ela. “Eu dei um cheque meu de R$ 400 na época”, conta.

“Liguei para o (então presidente da Celg) Ênio Branco e disse: ‘Ênio, tá aí perto de você. Vai lá nessa entidade e vê se pode fazer alguma coisa’. Mas não disse pra ele fazer um valor ou coisa assim”, lembra o secretário.

R$ 3 milhões para se livrar de denúncias do mensalão do DEM

Posted in 1 on fevereiro 6, 2010 by gusbrum

O jornalista Edmilson Edson dos Santos, conhecido em Brasília como Edson Sombra, afirmou, em entrevista aoR7, que o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido), teria oferecido R$ 3 milhões para que ele realizasse três missões para ajudar a livrar o governador das denúncias de corrupção. Procurada, a assessoria de Arruda negou todas as acusações e afirmou que foi montada uma farsa que está sendo desmontada.